Pegar um solzinho é uma das atividades mais comuns no verão: aproveitar pra deixar o bronzeado em dia. Mas essa exposição ao sol tem, junto do seu lado bom, o seu lado ruim também. Os raios ultravioletas causam estragos na pele desprotegida, e isso não é só nas estações mais quentes do ano. Isso vale nos dias nublados e chuvosos, onde esses raios passam através das nuvens e conseguem nos atingir.

Só quem usa filtro solar consegue aproveitar os benefícios da exposição ao sol, como fortalecimento dos ossos por conta da produção da Vitamina D ou a redução do risco de ter depressão. Sem essa camada protetora, a pele sofre os efeitos ruins na saúde e na estética. Confira abaixo as consequências negativas mais comuns para quem não usa filtro solar todo dia:

Câncer de pele: o sol pode causar o aparecimento de três tipos de câncer de pele, desde mais superficiais até mais graves.

Manchas na pele: os raios UVA e UVB podem provocar o aparecimento delas pelo corpo todo, sendo mais comum aparecerem no rosto, no colo, nos braços e nas mãos.

Outras doenças de pele: miliária solar é uma delas, que apresenta pequenas bolinhas vermelhas na área exposta ao sol. Ainda há a fitofotodermatose, quando o sol reage a líquidos cítricos, medicamentos ou perfumes, e as fotodermatoses de origem metabólica, onde aparecem manchas na pele de quem tem diabetes, por exemplo.

Ceratose actínica: são lesões pré-cancerígenas mais espessas e que descamam. Elas aparecem mais frequentemente no rosto, orelhas, lábio, mãos, antebraços, ombros, colo e couro cabeludo. Precisam ser tratadas logo que forem notadas, para não evoluírem para algo mais grave.

Queimaduras: podem ser de primeiro, segundo ou terceiro grau, o que varia é a gravidade. Podem ser uma simples vermelhidão na pele até bolhas.

Alterações na textura da pele: aí entra a conversa do envelhecimento precoce, flacidez e rugas, provocados pelo aumento da produção de radicais livres que os raios ultravioletas trazem.

 

 

 

 

 

 

Designed by Freepic.diller

Escrever um comentário