Informação é a melhor maneira de prevenção! Lembrando disso, aproveitamos que o Outubro Rosa esta aí e separamos alguns mitos que cercam o câncer de mama. Ainda, essa é uma das doenças que mais mata mulheres, no mundo todo e também no Brasil. A boa notícia é que, como diagnóstico precoce, a chance de cura chega a 95%. Confira abaixo algumas grandes mentiras sobre o câncer de mama:

O único sintoma é um caroço no seio.
Essa é a forma mais habitual de revelar o tumor, porém outros sintomas que podem surgir são edemas semelhantes à casca de laranja, irritação ou irregularidades na pele, dor, saída de algum tipo de secreção pelo mamilo, além de nódulos palpáveis na axila. No caso de qualquer alteração ou mudança nas mamas, procure imediatamente um médico.

Mamografia é só para idosas.
Ela é necessária – e garantida por lei – a partir dos 40 anos. Mulheres com histórico familiar de câncer de mama ou de ovários podem, sob orientação médica, realizar o exame ainda mais cedo.

Apenas mulheres com mais de 50 anos podem ter câncer de mama.
É raro desenvolver o câncer antes dessa idade, mas não dá pra esquecer que existem fatores como predisposição genética, obesidade ou tabagismo, entre outros, que podem colaborar com o surgimento em mulheres mais jovens.

A mulher que retira o tumor perde o seio.
Cirurgias de retirada de tumor fazem parte do tratamento, mas a tendência é preservar o máximo possível o tecido original, sempre respeitando a segurança da paciente. De qualquer forma, cirurgias plásticas de reconstrução da mama sempre podem ser uma opção.

Outros mitos comuns, mas que não possuem nenhuma evidência científica que os comprovem:
Prótese de silicone não estimula o aparecimento do câncer, nem antitranspirantes e desodorantes (nem roll on, nem spray ou aerosol)  ou sutiã apertado (com ou sem aro, com ou sem bojo, com alças largas ou finas)  favorecem o desenvolvimento do câncer de mama.

 

 

 

 

 
Designed by Freepik

Escrever um comentário